quarta-feira, 9 de agosto de 2017

Um prato cheio para o desespero

Um belo dia me pego pensando sobre a vida... (como se eu não fizesse isso todos os dias da minha humilde vida) e percebo que eu, apesar de ser a pessoa mais sortuda dessa universo, consigo ainda assim ser uma esponja...

Absorvo tudo que me rodeia, desde coisas maravilhosas a coisas extremamente desagraveis.


Mas dizem as más línguas que infelizmente (ou não) os opostos se atraem... Eis que me atrai por aquele que acredita ser o ser humano mais azarado do mundo sem sombra de duvidas...

Não é possível que eu seja tão sugada por essa criatura, a todo instante praticamente... me sinto fora de mim... como se algo que não fosse meu, tomou meu corpo, minha forma e passa a me usar e abusar de todas as formas possíveis.

Sim... sinto como se... a cada instante que se passa... eu, que estava no topo do universo, estou mais próximo de um poço que parece nem ter fim...


Eu não consigo olhar pra cara dessa pessoa... sem ter a vontade de chorar... porque me parece ser uma pessoa tão triste que a unica coisa que consigo sentir é... tristeza.

Dizem que o outro é apenas um reflexo de você mesmo... Acontece que essa tristeza que eu venho visto, eu não quero mais vê-la...

Mas tenho sentido tanta tristeza que... não sei se consigo mudar o sentimento para outra coisa... outra direção... outro rumo...

Tem algo que muda meu foco... e toda vez que penso... meu olho vibra e pede por aquilo... como se não houvesse outra saida...

Estou perdida. E a unica coisa que eu queria era... achar a saida desse labirinto de emoções que eu mesmo me enfiei...